Os Fidalgos da Casa Mourisca Epub Æ Fidalgos da Casa


Os Fidalgos da Casa Mourisca ❰Read❯ ➯ Os Fidalgos da Casa Mourisca Author Júlio Dinis – Thomashillier.co.uk Os Fidalgos da Casa Mourisca é uma obra de Júlio Dinis passada numa aldeia do Alto Minho e ue retrata o confronto entre a burguesia em ascensão e a meteórica ueda de uma nobreza decrépita e falid Os Fidalgos da Casa Mourisca da Casa MOBI ô é uma obra de Júlio Dinis passada numa aldeia do Alto Minho e ue retrata o confronto entre a burguesia em ascensão e a meteórica ueda de uma nobreza decrépita e falidaDa obra ue lemos até agora deste autor este é o livro ue se assemelha mais ao romance tradicional onde o foco principal não recai tanto Os Fidalgos PDF \ na ilustração de uma determinada realidade social mas antes nos as entre dois jovens de realidades sociais diversasApesar do carácter romântico assumir o papel de destaue Júlio Dinis nesta obra põe a nu a fragilidade de uma nobreza fidalga em declínio ue se limita a viver de um nome ue cada vez vale menos numa ilusão utópica da manutenção de um status uo Fidalgos da Casa PDF ✓ ue já não tem Existe também uma ligeira abordagem dos problemas relativos às alterações profundas na sociedade portuguesa decorrentes do fim de alguns privilégios de classe ue o liberalismo político ofereceu ao século XIX portuguêsNo entanto e como dissemos supra o objecto principal desta obra são as relações pessoais ue se estabelecem entre duas famílias de classes sociais distintas e ue condicionam toda a narrativaFilipe de Arede Nunes de Novembro de httpbibliotecatransmissivelblogspEste romance ue é uma crónica de aldeia passa se no sécXIX no Alto Minho e nele o autor põe em evidência as mudanças por ue passa a sociedade portuguesa da época com o progresso da burguesia e a conseuente decadência da nobreza Os senhores Negrões de Vilar de Corvo o pai D Luís e os filhos Jorge e Maurício são conhecidos como Os Fidalgos da Casa Mourisca pois assim é conhecido o velho solar onde vivem a Casa MouriscaFonte tempos idos havia uma tradição nas aldeias de chamar Casa Mourisca aos grandes solares senhoriais Na aldeia retratada nesta obra a tradição mantém se e o solar da família Negrões de Vilar de Corvos fica conhecida por esse nome pelos seus habitantes Esta é uma obra centrada numa problemática muito própria do século XIX em ue a classe aristocrática vai perdendo os seus privilégios para uma burguesia emergente e onde Júlio Dinis faz um excelente retrato de uma ruralidade assente em morgadios do interior ue está a desaparecer com a chegada de novas ideias e novos ideais políticos a PortugalIsabel Maia de Abril de httpnacompanhiadoslivrosblogspot.


10 thoughts on “Os Fidalgos da Casa Mourisca

  1. Andreia Andreia says:

    É tão mas tão bom A uem não repugne um pouco de romantismo a meu ver na medida certa há ue lê lo


  2. Célia Loureiro Célia Loureiro says:

    Orgulho e Preconceito seria o título mais apropriado para este romance póstumo de Júlio Dinis publicado em 1871 no mesmo ano da morte do autorJoauim Guilherme Gomes Coelho 1839 1871 travou uma longa batalha com a tuberculose doença ue aliás lhe levou a mãe e os irmãos e pereceu na idade precoce de 31 anos Este foi o seu último romance obra ue já não contou com a sua revisão Apesar de se tratar de uma narrativa saída do punho de um moribundo é um livro positivo com momentos de grande divertimento mas também de angústia e de seriedadeComecei a lê lo em Agosto uando tinha acabado há dias Uma Família Inglesa de ue muito gostei Nunca é boa ideia ler livros muito próximos de um mesmo autor senti ue estava a ler uma continuação do livro mencionado e comecei a sentir me algo fatigada A culpa não era do livro mas sim da necessidade ue tive de me afastar da narrativa de Júlio Dinis para depois poder regressar a ela repousada e assim poder admirá la em todo o seu esplendorA escrita é elegante compreensível mas contém a complexidade de ideias e de caracteres das personagens Neste livro ficaram me várias inesuecíveis D Luís o fidalgo falido da Casa Mourisca ue tudo perdeu exceto a altivez do seu brasão Jorge o filho mais velho empenhado em recuperar o brio ue outrora luziu sobre a sua família Maurício o filho mais novo e impetuoso do velho fidalgo dado a paixões e a aventuras Outras personagens cuja vida vem entrelaçar se com a destes nobres são o Tomé da Póvoa antigo criado da casa e ue entretanto investiu na sua própria Herdade e a elevou muito além do esplendor da Casa Mourisca a sua filha Berta regressada de Lisboa com estudos e maneiras elegantes e tantos outros vizinhos ue com estas personagens se cruzam ajudando a traçar os seus destinosAs personagens são sublimes Jorge é sisudo empenhado e devoto ao dever de reerguer a casa da família É por isso a minha personagem favorita ue toma como sua responsabilidade a missão de abandonar os velhos modos ue levaram ao ócio e à destituição do património de muitos nobres nessa segunda metade do séc XIX em ue o país se regia pelo signo do liberalismo Berta é à semelhança de Jenny de Uma Família Inglesa uma menina de bem meiga e com valores sólidos ue vem agitar a relação dos dois irmãos Jorge e Maurício mas sobretudo agitar o euilíbrio decadente de séculos por auelas bandas a separação de classes de aspirações de fortunas e de oportunidades A única coisa ue me aborrece ligeiramente nos livros de Júlio Dinis é a santificação da figura feminina como se personificasse tudo o ue há de bom estivesse sempre disponível para os maiores sacrifícios e superasse os homens em índole e perspicácia e acabando sempre por salvá los dos seus impulsos mais nocivos Talvez esta ideia de mulher perfeita lhe venha da mãe ue perdeu uando era tão peueno? De ualuer modo parece se um pouco com o fenómeno de adoração da Mãe Fátima ue nasceu em 1917 Uma espécie de percursor de uma crença na sacralidade feminina e maternal ue os portugueses sempre estiveram muito dispostos a abraçar Também me oponho bastante a esta ideia constante de sacríficio ue surge tão virtuosa e ue tanto eleva o caráter das personagens à luz do seu século Eram outros tempos mas creio ue este espírito se estendeu em Portugal durante todo o Estado Novo à sombra da religiosidade e dos bons costumes de modéstia e recatoDe um lado a ruína dos nobres; de outro o progresso da burguesia e dos lavradores honrados Amo este Portugal fulgurante ue Júlio Dinis nos descreve e adoro o modo como o livro nos sugere ue o país poderia ter seguido um rumo de ascensão económica mesmo no seio Europeu se a aristocracia de deixasse das velhas maneiras e adotasse a força e a determinação de homens ue do nada construíam peuenos impériosAgora só me falta A Morgadinha dos Canaviais e As Pupilas do Senhor Reitor para colher o ue de melhor este jovem autor nos deixou Para mais tarde claro


  3. Rita Rita says:

    Os Fidalgos da Casa Mourisca é uma obra passada numa aldeia do Alto Minho e ue através de uma história de amor põe a nu o confronto entre a burguesia em ascensão e a ueda de uma nobreza caduca e falida Os relacionamentos entre as famílias Negrões de Vilar dos Corvos e Tomé são o foco principal desta história no entanto Júlio Dinis aflora também ainda ue levemente as diferenças entre conservadores e liberaisCuriosidades pelo menos para mim ue não fazia a mínima ideia📽 Há um filmeteleteatro de 1963 baseado nesta obraOs Fidalgos da Casa Mourisca – Parte IOs Fidalgos da Casa Mourisca – Parte II📺 Foi exibida uma novela na TV Record – Brasil em 1972 e com cerca de 100 capítulosSó não leva 5⭐️ porue não gosto de histórias de amor ue acabem bem manias minhas


  4. Isabel Maia Isabel Maia says:

    Em tempos idos havia uma tradição nas aldeias de chamar Casa Mourisca aos grandes solares senhoriais Na aldeia retratada nesta obra a tradição mantém se e o solar da família Negrões de Vilar de Corvos fica conhecida por esse nome pelos seus habitantes Os fidalgos da Casa Mourisca estão arruinados Uma má gestão e o orgulho de D Luís levaram a propriedade a esta situação Porém Jorge o filho mais velho descontente com o rumo ue a sua casa levava pediu ajuda a um agricultor ue prosperou Tomé da Póvoa antigo trabalhador na casa Mourisca Tomé da Póvoa tem uma filha Berta ue foi educada fora da aldeia e ue regressa a casa Jorge apaixona se por ela mas o orgulhoso e inflexível D Luís não concorda nem com a recuperação económica proposta pelo filho nem com a paixão ue ele nutre por uma plebeiaFoi com uma agradável surpresa ue fiuei a conhecer a obra deste escritor portuense Por partilhar a mesma escola realista com o poveiro Eça de ueirós a escrita é também ela muito povoada de elementos colados à realidade como as descrições dos lavores dos jornaleiros no campo Mas o ue distingue Júlio Dinis de Eça é a escrita muito simples muito neutra e natural sem as muitas figuradas de estilo ue o escritor da Póvoa do Varzim utilizava Esta é uma obra centrada numa problemática muito própria do século XIX em ue a classe aristocrática vai perdendo os seus privilégios para uma burguesia emergente e onde Júlio Dinis faz um excelente retrato de uma ruralidade assente em morgadios do interior ue está a desaparecer com a chegada de novas ideias e novos ideais políticos a Portugal Para uem aprecia a escola literária do realismo este é um livro ue recomendo vivamente


  5. Poli Poli says:

    Pode parecer estranho mas nunca tinha lido Júlio Dinis a perda era minha Um retrato da sociedade provinciana portuguesa do seculo XIX ue nos mostra as mudanças ocorridas nos diversos estratos sociais ue nem sempre as mentalidades acompanham Persongens completamente reais ue poderiam viver ao virar da esuina e uma história bastante agradavel de seguir


  6. Mariana Lis Mariana Lis says:

    Um romance bucólico do virar do século alimentado pelos tons uentes da terra e em cujas páginas se sente ainda o toue fresco e uebradiço da urze sob o orvalho o aroma adocicado do campo em manhãs de primavera Júlio Dinis acolhe sem pretensão os ensinamentos da escola romântica ue antecede a sua geração assim como toda a boa influência dos clássicos da literatura inglesa sem no entanto se demarcar dauela em ue temática e estilisticamente se inscreve Não é e desenganem se os cépticos um livro de ritmo lento como de resto talvez se adivinhasse A sua preocupação não está no aprimoramento da linguagem aspecto ue considerei positivo tendo em viva conta outros grandes nomes do panorama literário da época mas sim na pintura e nesse aspecto o autor atinge os seus objectivos de maneira despretensiosa não sem brio e até com certo mimo Na realidade não é inteiramente fiel o retrato ue nos é oferecido da sociedade rural portuguesa em particular da região norte naueles tempos de moribunda fidalguia; no entanto e já o uerido Oscar dizia uma obra não é tanto um espelho da sociedade ue a desponta e nutre como o é do seu consciencioso público E o conceito de ue o povo português principalmente nas zonas rurais é mais estúpido escrupuloso e complacente do ue em ualuer outro beco encardido noutra capital europeia ualuer é válido até hoje conceito ue nós ue o somos mais alimentamos Em Os Fidalgos da Casa Mourisca o uadro socioeconómico do país pelo menos na medida em ue este se torna útil para o desenrolar da acção é introduzido com a maior modéstia e minuciosa atenção aos aspectos mais gerais da coisa Na boca de Jorge jovem fidalgo de salutar complexão Júlio Dinis assume as inclinações liberais ue o aconchegam o ue não obsta a ue durante todo o romance o chamado “conflito de classes” seja de tal forma relativizado sentimentalizado e de todas as maneiras popularizado ue nunca chega a ser um conflito real só no plano das relações pessoais entre os jovens enamorados e respectivas famílias A ideia de ue o “trabalho consola o trabalho enobrece” cristalizando uma falsa percepção de igualdade entre a classe dominante e seus vassalos é hoje um entrave ao ue uer de revolucionário ue por fim se encontre na obra O bom do Tomé ue me perdoe mas o tempo das vacas gordas já lá vai


  7. Su Su says:

    A minha principal motivação para ler este romance histórico foi ser uma das leituras da juventude da minha mãe da ual ela guarda boas memórias Nunca fui muito entusiasta de retratos históricos da sociedade porém a curiosidade levou a melhor e decidi dar uma oportunidade ao livroNão me arrependi de o ter feito É uma leitura simples e previsível mas ue não deixa de ser agradável Mostra um retrato muito pitoresco das aldeias do interior do país Os personagens estão bem elaborados considerando o seu ambiente e contexto histórico Este último está presente na narrativa principalmente através das posições e convicções das mesmas É uma visão algo simplista contudo para mim isso foi um ponto positivo pois tornou a leitura em algo leveA nível do romance no entanto esta história não faz de todo o meu género Embora obviamente não esperasse um romance atrevido também não contava ue fosse ser tão platónico É tudo muito casto e sem sal Valeu principalmente por me mostrar uma perspectiva diferente com dilemas ue nunca teria considerado noutros contextosResumindo foi positivo para variar um pouco das minhas leituras habituais mas não passará a fazer parte das mesmas


  8. Rita Rita says:

    It's my favorite book for a thousand and one reasons


  9. Fátima Linhares Fátima Linhares says:

    Só me faltava esta obra para ter lido todos os romances de Júlio Dinis ue infelizmente são poucos pois partiu cedo e para variar não fiuei desiludida Apesar de terem uase todos a mesma estrutura o mesmo tipo de personagens e uase sempre um cenário campestre Júlio Dinis tem tanta mestria a escrever e guia o leitor de uma maneira tão simples e intuitiva ue é uma maravilha ler as suas obras Faz longas descrições dos locais onde a ação se desenrola e descreve tão bem o caracter e às vezes falta dele das personagens e as suas ações ue é um gosto ir virando as páginas mesmo sabendo como tudo se vai desenrolar e terminar Acho ue não se pode escrever o mesmo de muitos autores Cria as situações de forma tão perfeita e ainda consegue dar uns laivos de humor com auelas personagens mais rústicas mas ue falam com o coração e retrata bem a sociedade da épocaue posso escrever mais? Apenas termino deixando aui registado ue Júlio Dinis é o meu autor português favorito e ue adoro todas as suas obras sendo a minha preferida A morgadinha dos canaviais talvez porue foi a primeira obra ue li dele uando ainda era adolescente e me causou tão boa impressão ue nunca a esueci


  10. Guilherme Martins Guilherme Martins says:

    Na destruição do velho sistema feudalista e do nascer do novo paradigma da burguesia surgiu assim a obra Fidalgos da Casa Mourisca submetida aos ideais iluministas Acreditando na inocência da coexistência pacifica entre dominantes e dominados exploradores e explorados é descritível assim nestas páginas de Júlio Dinis a imaginária ordem vigente Divagando em falsos moralismos e frases de ordem Trabalha porue serás coberto de ouro leva o leitor para uma paixão eterna sobre o trabalho


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *